Voltar
06/2020

O que é Alienação Fiduciária?

A dúvida deste artigo, ou seja, ‘’O que é Alienação Fiduciária?’’, deve estar na cabeça principalmente de pessoas que querem fazer um financiamento bancário.

Trata-se de um empréstimo com garantia e é justamente por essa característica que é tão importante entender mais informações da alienação fiduciária. A expressão parece complicada, mas tem um significado simples e queremos te ajudar a entender agora mesmo! 

Confira o que esse termo significa, para que serve a alienação fiduciária e quais opções você tem no mercado. 

O que significa alienação fiduciária?

Alienação fiduciária é o recurso que permitiu a prática do empréstimo com garantia no Brasil, isso porque a hipoteca ficou obsoleta devido às barreiras legais.

Uma de suas principais características é o fato de ser um processo menos burocrático, tornando-se interessante para o cliente que busca por um empréstimo com juros mais baixos e para as instituições financeiras que conseguem conduzir a operação de forma mais prática.

O conceito de alienar é o mesmo que transferir a propriedade de um bem.  Dessa forma, a alienação fiduciária é um recurso no qual alguém transfere um bem para demonstrar confiança.

No caso de empréstimos e financiamentos, o bem continua com o proprietário, mas é transferido à instituição financeira até a quitação total do débito como uma maneira de garantir o pagamento das prestações.

Nesse sentido, o devedor pode continuar utilizando o seu carro, morando no seu imóvel ou usufruindo normalmente de qualquer propriedade que tenha colocado como garantia. No momento em que as parcelas forem quitadas, esse bem sai da alienação fiduciária, ou é “desalienado”

Para que serve a alienação fiduciária?

Esta modalidade foi criada para substituir a hipoteca nas operações com bens em garantia por ser mais descomplicada e oferecer um processo mais simples. A novidade diminuiu o risco de inadimplência para as instituições financeiras e isso resultou em melhores condições de pagamento para os clientes.

Empréstimo x Consórcio

Não tem como não abordar esse ponto de destaque, sobretudo porque ele é responsável por descabelar muita gente. Estamos falando da burocracia. E não tem como não falar das vantagens do consórcio nessas horas, afinal, a burocracia é absolutamente menor, bem menor, que a de um financiamento bancário ou empréstimo.

Mas afinal, por que a burocracia no consórcio é menor? Assim como a alienação fiduciária diminuiu os riscos por parte das instituições financeira e assim, os custos para o consumidor final se tornou menor. O consórcio segue a mesma característica: risco menor. Em um financiamento ou empréstimo, o banco tem que fazer uma análise minuciosa de crédito e das garantias, afinal a dívida contraída pelo cliente pode ser de 3x o valor contratado (no caso de um financiamento imobiliário, por exemplo). Já no consórcio os riscos são muito menores, porque a dívida é muito menor, afinal não há cobrança de juros.

Além disso, não é necessário oferecer um valor como entrada, isso porque você pode guardar o dinheiro para dar seus lances nas assembléias.

Geralmente, o saldo do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) é utilizado como entrada nos financiamentos; este valor também pode ser usado na oferta de lance no consórcio, antecipando sua contemplação. Pode ser usado também como complemento, somado à carta de crédito do consórcio!


Outra questão IMPORTANTÍSSIMA é que sobre para os consórcios não há incidência de taxas de juros. As administradoras cobram somente uma taxa de administração. É essencial comparar as diferentes taxas cobradas entre as empresas, mas observe que elas, certamente, serão menores que os juros bancários.

Importante destacar também, principalmente para aquelas pessoas que têm dúvidas sobre as garantias de colocar seu dinheiro nesse tipo de negócio, que as operações de consórcio são fiscalizadas pelo Banco Central e que as administradoras precisam de autorização para oferecerem seus serviços – ou seja, tudo é fiscalizado. A principal lei que regulamenta o setor é a nº 11.795/2008, conhecida também como Lei dos Consórcios.

Dependendo dos seus planos, fazer consórcio é mais vantajoso. Não há cobrança de juros, que, nos financiamentos, podem ser exorbitantes e sempre muito maiores que as taxas de um consórcio. A burocracia também é menor e não há necessidade de arcar com valores para entrada.


Dica final: Faça um UP Consórcios!

O UP Consórcios é uma fintech da Embracon que ajuda as pessoas a atingirem seus objetivos com planejamento financeiro. Mais que moderno e digital, o UP é um consórcio transparente e o único consórcio sem nenhuma taxa até a contemplação. 

Outro diferencial do UP é a recompra garantida para a cota contemplada, com as parcelas pagas corrigidas pelo índice oficial da Poupança. 

Com o UP Consórcios você pode adquirir bens (carros e imóveis) e serviços (festas, viagens, cursos, reformas, estética, entre outros), com planos de 20 a 180 parcelas. A fintech é administrada pela Embracon, que é fiscalizada e regulamentada pelo Banco Central. 

No UP Consórcios você encontra as menores parcelas do mercado. Simule, compare e compre. E o melhor: sem juros, sem taxas de adesão, fundo reserva e administrativa até a contemplação.

Entre em contato conosco, estamos ansiosos por sua parceria! 

Até a próxima!

Simule seu consórcio agora mesmo!

Simule agora

Outras matérias relacionadas

04/2020

Reforma sem dor de cabeça: dicas para escolher um bom prestador de serviços

Quando o assunto é reforma, sempre surgem vários pensamentos negativos, não é? Confira nossa postagem e saiba como programar uma reforma sem dor de cabeça!

07/2020

Apps para adotar na compra Online

Após o isolamento social, as compras online ganharam ainda mais espaço. Separamos os 10 principais aplicativos para fazer compra online. Confira!

05/2020

Tire suas dúvidas sobre o Auxílio Emergencial

Quem tem direito? Só recebe quem está no CadÚnico? Quem precisa se cadastrar no aplicativo da Caixa? Tire essas e outras dúvidas sobre o Auxílio Emergencial!

O que é Alienação Fiduciária?

O que é Alienação Fiduciária?

A dúvida deste artigo, ou seja, ‘’O que é Alienação Fiduciária?’’, deve estar na cabeça principalmente de pessoas que querem fazer um financiamento bancário.

Trata-se de um empréstimo com garantia e é justamente por essa característica que é tão importante entender mais informações da alienação fiduciária. A expressão parece complicada, mas tem um significado simples e queremos te ajudar a entender agora mesmo! 

Confira o que esse termo significa, para que serve a alienação fiduciária e quais opções você tem no mercado. 

O que significa alienação fiduciária?

Alienação fiduciária é o recurso que permitiu a prática do empréstimo com garantia no Brasil, isso porque a hipoteca ficou obsoleta devido às barreiras legais.

Uma de suas principais características é o fato de ser um processo menos burocrático, tornando-se interessante para o cliente que busca por um empréstimo com juros mais baixos e para as instituições financeiras que conseguem conduzir a operação de forma mais prática.

O conceito de alienar é o mesmo que transferir a propriedade de um bem.  Dessa forma, a alienação fiduciária é um recurso no qual alguém transfere um bem para demonstrar confiança.

No caso de empréstimos e financiamentos, o bem continua com o proprietário, mas é transferido à instituição financeira até a quitação total do débito como uma maneira de garantir o pagamento das prestações.

Nesse sentido, o devedor pode continuar utilizando o seu carro, morando no seu imóvel ou usufruindo normalmente de qualquer propriedade que tenha colocado como garantia. No momento em que as parcelas forem quitadas, esse bem sai da alienação fiduciária, ou é “desalienado”

Para que serve a alienação fiduciária?

Esta modalidade foi criada para substituir a hipoteca nas operações com bens em garantia por ser mais descomplicada e oferecer um processo mais simples. A novidade diminuiu o risco de inadimplência para as instituições financeiras e isso resultou em melhores condições de pagamento para os clientes.

Empréstimo x Consórcio

Não tem como não abordar esse ponto de destaque, sobretudo porque ele é responsável por descabelar muita gente. Estamos falando da burocracia. E não tem como não falar das vantagens do consórcio nessas horas, afinal, a burocracia é absolutamente menor, bem menor, que a de um financiamento bancário ou empréstimo.

Mas afinal, por que a burocracia no consórcio é menor? Assim como a alienação fiduciária diminuiu os riscos por parte das instituições financeira e assim, os custos para o consumidor final se tornou menor. O consórcio segue a mesma característica: risco menor. Em um financiamento ou empréstimo, o banco tem que fazer uma análise minuciosa de crédito e das garantias, afinal a dívida contraída pelo cliente pode ser de 3x o valor contratado (no caso de um financiamento imobiliário, por exemplo). Já no consórcio os riscos são muito menores, porque a dívida é muito menor, afinal não há cobrança de juros.

Além disso, não é necessário oferecer um valor como entrada, isso porque você pode guardar o dinheiro para dar seus lances nas assembléias.

Geralmente, o saldo do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) é utilizado como entrada nos financiamentos; este valor também pode ser usado na oferta de lance no consórcio, antecipando sua contemplação. Pode ser usado também como complemento, somado à carta de crédito do consórcio!


Outra questão IMPORTANTÍSSIMA é que sobre para os consórcios não há incidência de taxas de juros. As administradoras cobram somente uma taxa de administração. É essencial comparar as diferentes taxas cobradas entre as empresas, mas observe que elas, certamente, serão menores que os juros bancários.

Importante destacar também, principalmente para aquelas pessoas que têm dúvidas sobre as garantias de colocar seu dinheiro nesse tipo de negócio, que as operações de consórcio são fiscalizadas pelo Banco Central e que as administradoras precisam de autorização para oferecerem seus serviços – ou seja, tudo é fiscalizado. A principal lei que regulamenta o setor é a nº 11.795/2008, conhecida também como Lei dos Consórcios.

Dependendo dos seus planos, fazer consórcio é mais vantajoso. Não há cobrança de juros, que, nos financiamentos, podem ser exorbitantes e sempre muito maiores que as taxas de um consórcio. A burocracia também é menor e não há necessidade de arcar com valores para entrada.


Dica final: Faça um UP Consórcios!

O UP Consórcios é uma fintech da Embracon que ajuda as pessoas a atingirem seus objetivos com planejamento financeiro. Mais que moderno e digital, o UP é um consórcio transparente e o único consórcio sem nenhuma taxa até a contemplação. 

Outro diferencial do UP é a recompra garantida para a cota contemplada, com as parcelas pagas corrigidas pelo índice oficial da Poupança. 

Com o UP Consórcios você pode adquirir bens (carros e imóveis) e serviços (festas, viagens, cursos, reformas, estética, entre outros), com planos de 20 a 180 parcelas. A fintech é administrada pela Embracon, que é fiscalizada e regulamentada pelo Banco Central. 

No UP Consórcios você encontra as menores parcelas do mercado. Simule, compare e compre. E o melhor: sem juros, sem taxas de adesão, fundo reserva e administrativa até a contemplação.

Entre em contato conosco, estamos ansiosos por sua parceria! 

Até a próxima!

Últimas Postagens

Destinos para viajar após a pandemia no Brasil

Apesar de não termos previsão de quando tudo vai voltar a normalidade, planejamento é tudo. Saiba alguns destinos para viajar após a pandemia no Brasil!

Consórcio ou Minha Casa Minha Vida: qual a melhor modalidade para comprar um imóvel

Consórcio ou Minha Casa Minha Vida: Acompanhe a leitura deste artigo, confira as principais vantagens e desvantagens entre elas e escolha a melhor opção!

Planejamento Financeiro: descubra como montar o seu

Você já tentou fazer um planejamento financeiro? Certamente já tenha tentado algumas vezes, mas acabou deixando de lado. Acesse e saiba como fazer o seu!

Transferência de consórcio: Entenda como funciona

Pode ocorrer que em algum momento, alguém queira ou precise transferir o consórcio para outra pessoa. Saiba como funciona a Transferência de Consórcio!

Como a nova nota de R$200 impacta a economia

No dia 29, foi anunciado pelo Banco Central (BC) o lançamento de uma nova cédula. Acesse e saiba como a nova nota de R$200 impacta a economia!

Dicas de como comemorar o Dia dos pais na Pandemia

Uma data especial não deve passar em branco, mesmo em contexto pandêmico. Acesse nossa postagem e veja dicas de como comemorar o Dia dos Pais na Pandemia!
Próximo
1 / 42
Spotify - UP Consórcios